sábado, 11 de março de 2017

As rotinas da escola e da sala de aula: referências para a organização do trabalho do professor alfabetizador

As rotinas da escola e da sala de aula: referências para a organização do trabalho do professor alfabetizador
 
A organização do trabalho pedagógico precisa envolver um conjunto de procedimentos que, intencionalmente, devem ser planejados para serem executados durante certo período de tempo, tomando como referência as práticas sociais/culturais dos sujeitos envolvidos, suas experiências.
As crianças aprendem, através dessas rotinas, a prever o que fará na escola e a organizar-se. Por outro lado, a existência dessas rotinas possibilita ao professor distribuir com maior facilidade as atividades que ele considera importantes para a construção dos conhecimentos.
Podemos observar algumas atividades que podem ser observadas na divisão de uma rotina escolar:

  • Atividades permanentes
São as atividades regulares: diárias, semanais ou quinzenais. Essas atividades tem como finalidade uma aproximação maior com um tema, um gênero textual, o desenvolvimento de habilidades, momentos de entretenimento e fruição. Ex. rodas de conversa, calendário, hora da leitura, calendário, hora da brincadeira, aula sem laboratórios, biblioteca, notícia da hora, avaliação do dia e da semana...
  • Sequências didáticas
         Pressupõe um trabalho organizado, com conteúdos/objetivos específicos, a ser realizado durante um determinado período estruturado pelo professor. No ensino da língua, a sequência didática busca romper com práticas que tratam a leitura, a produção de textos e os conhecimentos linguísticos como momentos estanques e isolados, com sobreposições de exercícios e atividades soltas, descontextualizadas.
  • Projetos didáticos
É um trabalho mais articulado, com objetivos de maior alcance, que envolve outros componentes curriculares, dimensionamento do tempo, divisão de tarefas, produto final e avaliação. Pode envolver toda a escola ou grupos de alunos de diferentes turmas/séries.
A organização de uma rotina que privilegia a sistematização do trabalho da alfabetização de modo a contemplar os diferentes eixos de ensino da língua, por meio de um planejamento construído com base na realidade de cada aluno e escola, pode favorecer a construção e a realização de atividades que ajudam a promover a autonomia e a criatividade dos alunos no mundo da leitura e escrita.


Materiais didáticos no ciclo de alfabetização

O planejamento é de fundamental importância para que se atinja êxito no processo de ensino-aprendizagem. Ao fazer seu planejamento umas das atitudes a serem adotadas é pensar nos materiais a serem utilizados para atingir os objetivos propostos nele.
O professor deve saber que a manipulação de materiais concretos deve ter ligação com situações significativas para o aluno.
Assim sendo, para garantirmos os direitos de aprendizagem alguns tipos de recursos didáticos são essenciais no ciclo de alfabetização:
 
1 – Livros que aproximem as crianças do universo literário de forma prazerosa.
2 – Livros que ampliem o contato com diferentes gêneros e espaços sociais.
3 – Livros que estimulem a brincadeira com as palavras.
4 – Revistas e jornais variados que promovam a diversão e o acesso a informações.
5 – Os livros didáticos, que agrupam textos e atividades variadas.
6 – Materiais que estimulem a reflexão sobre palavras, tais como jogos de alfabetização.
7 – Os materiais publicitários, panfletos, cartazes educativos e embalagens.
8 – Os materiais cotidianos com os quais nos organizamos no tempo e no espaço, como calendários.
9 – Os registros materiais a respeito da vida da criança e familiares como: boletim escolar, carteirinha de vacina, fotografias, contas domésticas, carnês etc.
10 – Recursos que inserem as crianças em ambientes virtuais como a televisão, o rádio, o computador etc.
 
Alguns desses materiais são disponibilizados pelo Ministério da Educação e pelas secretarias de educação outros são coletados ou produzidos pelos professores.
Alguns materiais que fazem parte de Programas de Distribuição de Recursos Didáticos do Ministério da Educação:
  • Livros Didáticos -  O PNLD (Programa Nacional do Livro Didático), assegura a distribuição para as escolas brasileiras.
  • Livros Variados -  O PNLD Obras Complementares distribui livros variados, que se destinam a ampliar o universo de referências culturais dos alunos em processo de alfabetização e oferecer mais um suporte ao trabalho pedagógico dos professores.
  • Acervos de Obras de Literatura - O PNBE (Programa Nacional da Biblioteca da Escola) é um Programa que promove “o acesso à cultura e o incentivo à leitura nos
alunos e professores por meio da distribuição de acervos de obras de literatura, de
pesquisa e de referência.
  • Livros de Braille, Libras, Caracteres Ampliados, Áudio - O PNBE Especial distribuiu, em 2010, livros em formato acessível aos alunos com necessidades
educacionais especiais sensoriais.
  • Dicionários - Programa Nacional do Livro Didático – Dicionários.
  • Jogos de Alfabetização - O Ministério da Educação distribuiu para as escolas brasileiras um conjunto de jogos destinados à alfabetização. São 10 jogos que contemplam diferentes tipos de conhecimentos relativos ao funcionamento do Sistema de Escrita Alfabética.
  • Apoio teórico e metodológico para o trabalho em sala de aula - PNBE do Professor - O Programa Nacional Biblioteca da Escola – acervo do professor distribui acervos de obras de modo a contribuir como ferramenta para o planejamento de aulas.
Coleção Explorando o Ensino - A coleção “Explorando o Ensino” é formada por obras pedagógicas para aprofundamento de estudos dos professores. Busca discutir sobre teorias e práticas voltadas para o ensino em diferentes áreas de conhecimento.

 
Greice Amorim

0 comentários :

Postar um comentário