terça-feira, 1 de novembro de 2016

Bebê conforto não é lugar de permanência.



Aí vai uma dica preciosa para as mamães e professoras de berçário sobre a permanência dos bebês em bebê conforto,pois
bebê conforto não é lugar de permanência....
A maioria dos bebês-confortos e cadeirinhas de carro é projetada para permitir que o bebê durma confortável, com a cabeça e a coluna bem apoiados, sem que o pescoço fique "pendurado". A grande vantagem desse tipo de equipamento é permitir que o bebê durma em trânsito -- no carro ou num passeio. Desde que a cabeça esteja bem apoiada, não há problema em a criança dormir por períodos curtos semi-sentada no bebê-conforto.
No caso de uma viagem de carro muito longa, faça paradas mais ou menos de duas em duas horas para tirar a criança da cadeira e permitir que ela se movimente um pouco (mas não precisa acordá-la se ela estiver dormindo!).
Se o seu bebê estiver com o nariz muito entupido por conta de um resfriado ou uma alergia, você pode tentar colocá-lo no bebê-conforto para dormir, para que ele fique com a cabeça mais elevada e respire com mais facilidade. Porém só recorra a essa tática em último caso, e assim que puder transfira a criança para o berço.
Babás e berçários devem ser orientados a não deixar o bebê por longos períodos no bebê-conforto. Pesquisas mostram que a permanência por muito tempo na posição semi-sentada pode provocar vômitos em crianças com refluxo e diminuir a oxigenação do sangue, em especial durante o sono.
Outra opção possível para esses problemas são os colchões anti-refluxo, que proporcionam a elevação da cabeça sem fazer com que ela "caia".
Para resumir, não há problema em bebês saudáveis dormirem por até três horas no carrinho, no bebê-conforto ou na cadeirinha de carro, mas é recomendável deixar essa opção para a última alternativa, e sempre preferir uma superfície mais plana para o sono do bebê.
 
Bebê conforto:
Ele é um importante item de segurança, mas só serve para transportar o bebê.
O bebê-conforto merece muita atenção dos pais, tanto na hora de comprar, como na hora de usar. Em primeiro lugar, é bom esclarecer que esse é um dos equipamentos infantis cujas características mais mudaram nos últimos anos. Não faz muito tempo, o bebê-conforto era uma cadeirinha molenga, sem estrutura de segurança nenhuma, que os seus pais utilizavam simplesmente para transportar o filho de cá para lá, segurando-o por uma alça. Por causa de sua estrutura frágil, ele não seria para transportar o bebê no carro.
Pois bem, nos dias de hoje, bebê-conforto é sinônimo de cadeirinha de segurança para lactentes e, dessa forma, está sujeito aos procedimentos de certificação segundo o regulamento técnico de qualidade do Inmetro. Comprar um bebê-conforto sem o selo do Inmetro é impensável, pois é a certificação do Inmetro que garante a segurança do seu bebê em caso de acidente de automóvel! Ele deve ser instalado no banco traseiro, voltado para a parte de trás do veículo.
Mas é importante ressaltar que os requisitos de segurança do Inmetro se referem somente ao uso no carro. Só que muitos pais costumam usar o bebê-conforto também para carregar o bebê quando estão a pé. E é aí que mora o perigo.
Sempre que você retirar o bebê-conforto do carro com o seu bebê dentro, mantenha os cintos de segurança afivelados, pois a partir de poucos meses de vida as criancinhas movem-se muito rapidamente, são muito ativas e levam menos de um segundo para saltar da cadeirinha. Jamais coloque o bebê-conforto em cima de uma superfície elevada, como uma cômoda, mesa ou mesmo uma cadeira, pois quedas são frequentes, com o agravante de que os bebês costumam cair de cara no chão com o bebê-conforto por cima, aumentando muito o risco de machucados sérios na cabeça ou no rosto. Lugar de bebê-conforto é no chão!
Alguns pais retiram o bebê dormindo de dentro do automóvel e tendem a colocar o bebê-conforto dentro do berço, para não acordá-lo. Nunca faça isso, porque o bebê-conforto fica instável sobre uma superfície macia, pode virar ou permitir que o bebê escorregue para uma posição que o coloca em risco de sufocação. Bebê-conforto não é lugar de dormir! Se o bebê adormece durante uma viagem de carro, tudo bem, porque nessa circunstância ele tem que permanecer afivelado, mas assim que chegar ao destino, deve ser colocado no berço.
Por outro lado, os ortopedistas insistem que o bebê-conforto é exclusivo para transporte, porque a permanência do bebê por tempo excessivo numa mesma posição pode levar a um achatamento progressivo da parte posterior da cabeça. Além disso, ao comprar um bebê-conforto, é recomendável verificar se ele deixa espaço suficiente para o bebê ficar com as pernas levemente afastadas, pois se for muito apertado pode causar problema de desenvolvimento das articulações dos quadris.
Fontes: http://www.probebe.org.br/articles/1141

0 comentários :

Postar um comentário