sábado, 24 de setembro de 2016

Interpretação da lenda dos diamantes com alternativas


Interpretando....

Antes, muito antes do ano de 1500, o Brasil chamava-se Pindorama e vivia entre a sombra de mil palmeiras.
Foi nessa época que o índio Oiti, valente entre os mais valentes, se despediu de Potira, sua esposa, e desceu ao rio para dar combate a uma tribo inimiga.
Doze luas passaram-se sem que o moço guerreiro voltasse.
A linda Potira permaneceu sempre à beira do rio, com o olhar perdido no horizonte infinito, à espera do esposo.
E quando lhe veio a certeza de que não o veria mais, Potira chorou de saudades. Suas lágrimas misturaram-se com a areia da praia e Tupã transformou-as em diamantes.
(Nair Satarling. Nossas Lendas. Ed. Francisco Alves)

1- Esse texto pode receber o seguinte título:

(A) O Brasil antes de 1500.
(B) A linda Potira.
(C) A lenda do diamante.
(D) A guerra entre as tribos inimigas.

2- Oiti era:
(A) um dos nomes do Brasil, antes de 1500.
(B) o nome de um rio de diamantes.
(C) um guerreiro da lua.
(D) o esposo de Potira.

3- O valente guerreiro ficou fora por muito tempo e não mais retornou. Sua esposa o esperou por:
(A) 3 meses.
(B)12 semanas.
(C)1500 anos.
(D) 12 meses.

4- Pela leitura do texto, concluímos que:
(A) Pindorama era uma terra completamente desabitada.
(B) Somente os índios eram valentes guerreiros da lua.
(C) Nossa terra era rica em vegetação e pedras preciosas.
(D) As índias viviam chorando às margens dos rios.

5- Esse texto é:
(A) uma lenda.
(B) um conto.
(C) uma fábula.
(D) uma anedota.

0 comentários :

Postar um comentário