quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Sugestões de atividades - Educação Infantil


Linguagem

  • a)
  • b)
  • c)
  • d)
  • e)
  • f)
  • g)
  • h)
  • i)
  • Ampliação do trabalho com as vogais
  • Bingo de consoantes
  • Confeccionando um jacaré com caixa de ovo
  • Atividade com o nome dos alunos
  • Bingo de nomes
  • Coordenação visomotora
  • Vogais
  • Encontros vocálicos
  • Consoantes e famílias silábicas










a) Ampliação do trabalho com as vogais
As atividades que estimulam a expressão oral são muito importantes. A fala é um instrumento de comunicação fundamental entre as pessoas. É importante alternar as atividades orais, de modo a motivar os alunos a enfrentar os desafios. Peça, por exemplo, que citem nomes de colegas, animais, lugares etc. que comecem com a vogal que você estiver trabalhando. Eles deverão pronunciar bem cada nome para que os sons vocálicos fiquem bem perceptíveis.
Depois, faça uma lista com essas palavras e deixe-a exposta em um lugar estratégico da sala de aula. Essa listagem será útil para realizar a contagem de letras, comparar a palavra maior com a menor, o número de letras com o de sílabas etc. Permita a socialização de respostas e incentive a participação de todos.
Sempre que houver atividades com textos, chame a atenção dos alunos para as vogais. Proponha atividades complementares, como encontrar a palavra que apresenta determinada sequência vocálica ou circular as ocorrências de aei,ou.
Antes da escrita, não se esqueça de explorar o movimento das letras – com o dedo no ar, na areia, no chão (marcando o traço com giz, por exemplo) e na lousa (bem grande).
Jogo do mico
Uma opção interessante para trabalhar o aprendizado das vogais de forma lúdica é apresentar o jogo adaptado do mico.
Usualmente, os jogadores formam pares com figuras de bichos (macaca e macaco, gata e gato, galinha e galo etc.) e evitam encontrar a carta do mico: aquela que não forma nenhum par.
No jogo com as vogais, as regras e a forma de brincar permanecem as mesmas, só que os alunos deverão formar pares de letras (A com AE com EI com IOcom O ou U com U) e evitar ficar com a carta do mico, que pode ser uma consoante, um número ou a imagem de um macaquinho.
Se desejar, solicite a ajuda dos alunos para confeccionar as cartas antecipadamente.
Jogo da memória
Outra maneira de trabalhar com as vogais é propor um jogo da memória.
O objetivo dos alunos será formar pares entre uma vogal e uma figura com nome iniciado por essa letra, por exemplo: A com a figura de abelhaE com a figura deelefanteI com a figura de ioiôO com a figura de ovoU com a figura de uva.
Embaralhe as cartas e coloque-as viradas para baixo, no chão ou sobre a mesa, de acordo com o espaço escolhido para realizar a atividade. Diga que um de cada vez deve desvirar duas cartas e tentar memorizar as figuras, procurando formar pares sempre que possível.
Toda vez que formar um par, o jogador ficará com essas cartas e terá o direito de jogar novamente. Quando não formar nenhum par, passará a vez ao jogador seguinte.
Vence quem formar mais pares.

b) Bingo de consoantes
Agora é o momento de trabalhar o aprendizado das consoantes. O bingo é uma alternativa lúdica que pode instigar os alunos.
Escreva na lousa todas as letras do alfabeto, circulando as consoantes com giz colorido.
Monte previamente cartelas com 16 quadrinhos e dê uma para cada aluno, que deverá preenchê-la com as consoantes que desejar, sem repetir nenhuma. Você pode ajudá-los a fazer isso ou preparar a atividade com antecedência preenchendo você mesmo as letras das cartelas.
Diga a eles que você sorteará uma letra de cada vez e, caso tenham essa letra na cartela, devem marcá-la com um X usando lápis de cor.
O primeiro aluno que marcar todas as letras vence o jogo. Continue a brincadeira até que todas as consoantes sejam sorteadas, assim todos os alunos terminarão o jogo com a cartela preenchida.
c) Confeccionando um jacaré com caixa de ovo
Esta atividade faz parte do aprendizado de palavras com a letra J, mas também pode ser trabalhada de maneira mais genérica tratando do tema: “reaproveitamento de materiais”.
Diga aos alunos que será confeccionado um jacaré com caixas de ovos.
Materiais
  • parte inferior de uma caixa de ovos, vazia, de uma dúzia;
  • uma caixa de ovos, vazia, de meia dúzia;
  • 4 tubos de papel higiênico;
  • tintas (branca, verde e preta);
  • cartolina vermelha;
  • cola;
  • fita adesiva.
Procedimentos
Pinte de verde as caixas de ovos e os tubos de papel higiênico.
Nos quatro tubos, pinte também as unhas do jacaré com a tinta branca.
Com a fita adesiva, cole as duas partes da caixa menor para formar a boca.
Cole o corpo (parte de baixo da caixa maior) à cabeça (caixa menor).
Pinte os olhos e o nariz com tinta branca e tinta preta.
Na cartolina vermelha, desenhe e recorte a língua, colando-a com fita adesiva na boca do jacaré.
Encaixe e cole as pernas do jacaré (que são os tubos de papel higiênico).
d) Atividade com o nome dos alunos
O trabalho com o nome faz com que o aluno diferencie letras de desenhos e de números, e discrimine uma letra da outra. É possível levar a turma a refletir sobre a quantidade de letras ou sílabas usadas, relacionando-a às palavras em geral (Será que deve haver um mínimo de letras para formar uma palavra? Ou um número máximo? etc.).
Ao colocar o nome dos alunos nos trabalhos ou em outras situações de sala de aula, chame a atenção para a função social da escrita e sua utilização em situações cotidianas.
Explorar a repetição de letras dentro do mesmo nome é uma forma de fixar o reconhecimento de consoantes e vogais.
Outra proposta é realizar uma brincadeira de forca na lousa, em que os alunos devem descobrir qual foi o nome escolhido entre os nomes dos colegas. Para isso, convém que eles mesmos alternem a posição de propor e descobrir esses nomes, de acordo com a organização que julgarem mais conveniente.
e) Bingo de nomes
Confeccione cartelas com seu nome e de todos os alunos da turma. Distribua uma para cada aluno. Depois, peça que pintem de azul o próprio nome e de verde o nome do professor. Ajude aqueles que tiverem dificuldade.
Em seguida, diga que o objetivo é completar a cartela. Todos devem circular o nome sorteado.
Para facilitar, escreva o alfabeto na lousa, ou use letras móveis, trabalhando bem a primeira letra do nome de cada aluno antes de iniciar a brincadeira. Caso haja nomes iguais, o aluno deve marcar todos eles.
Neste jogo, não há vencedor, já que todos terminarão de circular os nomes juntos. O objetivo é que reconheçam as letras e os nomes que estão escritos na cartela.
f) Coordenação visomotora
Para estimular os alunos a desenvolver suas habilidades, proponha atividades práticas de coordenação visomotora, como:
  • cobrir linhas tracejadas (retas, curvas, zigue-zague);
  • rasgar tiras de jornal;
  • picar pedacinhos de papel;
  • fazer movimentos com o dedo (sobre a carteira, no ar, em cartelas de lixa, na areia etc.);
  • brincar com jogos de encaixe;
  • de mãos dadas, formar círculos e girar no sentido sugerido pelo professor;
  • distribuir folhas de papel de diferentes formatos e tamanhos para as crianças desenharem;
  • jogar boliche (nesta atividade, as crianças podem montar o jogo todo: primeiro, pintam as garrafinhas plásticas e confeccionam a bola, e depois a jogam);
  • preparar intervenções para os desenhos das crianças (por exemplo, entregue uma folha com a figura da cabeça de um animal colada e peça a elas que desenhem o restante do corpo);
  • brincar de “jogo do sapato” (os sapatos de todos os alunos são misturados; depois cada um deve encontrar o seu e calçá-lo o mais rápido possível);
  • manusear cartões coloridos e blocos lógicos;
  • estimular a percepção do objeto incompleto perguntando: “O que está faltando?”;
  • desmontar objetos, mostrar suas partes e montá-los novamente (exemplos: canetas, jogos de encaixe, quebra-cabeças).

g) Vogais
Ao apresentar as vogais aos alunos, procure:
  • identificá-las pelo nome;
  • pronunciá-las claramente;
  • realizar os movimentos corretos do traçado de cada uma;
  • mencionar nomes de objetos que se iniciem com a vogal estudada;
  • mencionar nomes próprios de pessoas e lugares que comecem com a vogal estudada;
  • incentivar a participação do aluno.
Proponha atividades como:
  • identificar visualmente cada vogal;
  • discriminar visual e auditivamente as palavras que comecem com o mesmo som da vogal em estudo;
  • traçar corretamente as vogais;
  • identificar a escrita do próprio nome e escrevê-lo corretamente;
  • fazer um jogo da memória com as vogais. Em vez de formar pares iguais, as crianças deverão associar as vogais ao som do nome da figura (por exemplo: o par para letra a será a figura da abelha);
  • confeccionar cartões com o nome de cada aluno e inventar brincadeiras para utilizá-los. Eles poderão usar os cartões também para copiar a escrita do próprio nome e dos colegas;
  • organizá-los orientando-os por meio de comandos como: “Quem tem a letra a no nome pode lavar a mão” e “Quem tem a letra o no nome pode sair para tomar lanche”;
  • preparar um bingo de vogais;



  • entregar por escrito e ler com as crianças letras de canções que elas saibam de memória;
  • sortear uma criança para ser o ajudante do dia e pedir que coloque a ficha com seu nome em espaço reservado para essa finalidade (o lugar de marcar o nome do ajudante do dia deve ser combinado previamente com os alunos);
  • propor que tragam de casa gravuras cujos nomes comecem com vogais. Depois, cada um apresenta sua gravura para que os colegas digam qual é a vogal inicial;
  • fixar na camiseta de cada aluno uma folha de papel com uma vogal. Eles devem se misturar no centro da sala de aula e, ao sinal do professor, apenas aqueles que portam a mesma vogal se reúnem;
  • elaborar cartazes que possam ser expostos no mural da sala de aula para consulta dos alunos quando necessário.
                                            
h)  Encontros vocálicos
Proponha atividades como:
  • dramatizar pequenas cenas que envolvam palavras com encontro vocálico, por exemplo:
  • “Juninho bateu o pé em uma pedra e gritou:
  • – Aiai!
  • Temos aí a palavra ai. Como podemos formá-la?”
  • distribuir fichas com a vogal a e outras com a vogal i para que os alunos as unam e leiam a palavra que formaram;
  • recortar de revistas palavras que tenham encontros vocálicos;
  • aplicar atividades utilizando as letras móveis, para que as crianças formem os encontros vocálicos e os leiam;
  • completar palavras com os encontros vocálicos;
  • identificar palavras formadas pela junção de duas vogais;
  • ler, escrever e interpretar as palavras formadas;
  • empregar as palavras formadas em frases orais.
i) Consoantes e famílias silábicas
Depois da revisão das vogais, os alunos estudarão as consoantes e suas famílias.
Para isso, proponha atividades como:
  • iniciar uma brincadeira com bola e questionar: “Como é a bola? Qual é sua cor? Qual é seu tamanho?” Apresentar aos alunos a letra b e destacar que “bola” começa com b;
  • seguir o traçado da letra, feita com corda ou giz de lousa no chão, pisando, correndo etc.;
  • apresentar um fantoche, uma tela de cinema feita de caixa de sapato ou uma história na forma de “sanfona”, com gravuras relacionadas à letra desejada, exemplo: b – bola, bala, bexiga, bule, bico etc.
  • organizar a turma em grupos e pedir a cada um que monte uma família silábica com as letras móveis;
  • promover brincadeiras de adivinhações (dar características de um objeto cujo nome comece com a letra em estudo, para o aluno dizer do que se trata e a letra pela qual seu nome começa);
  • incentivar a construção das famílias silábicas por meio de música, poema, história, dramatização, fantoche, filme ou gravura;
  • confeccionar cartelas com as consoantes para que os alunos possam manuseá-las logo após ser a apresentação delas;
  • elaborar com eles um cartaz que contenha as famílias silábicas (com ilustrações), para que possam consultá-lo sempre que necessário;
  • traçar corretamente cada letra;
  • identificar, ler e escrever cada família silábica apresentada.
  • Alguns exemplos foram dados com a letra b, porém servem de modelo para as demais consoantes.

0 comentários :

Postar um comentário