quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Estratégias de leitura


O que são estratégias de leitura? 

Qual é a importância delas na 

formação do leitor?

Desde cedo, ainda sem dominar o código verbal, as crianças são expostas a textos reais e usam estratégias de leitura que as ajudam a compreendê-los, buscando sentido, coerência. Por meio de um trabalho de dedução e inferência, a criança percebe as pistas que o próprio texto oferece. O papel da escola é o de ampliar e fortalecer o uso dessas estratégias para que elas não sejam abandonadas pelas crianças assim que dominarem o código verbal, uma vez que são ferramentas poderosas e fundamentais para encontrar o sentido no que se lê.

Como estratégias de leitura, 

temos:

  • antecipação do conteúdo do texto, que pode ser feita pelo título (os títulos dos textos, além de anunciarem a temática, indicam o gênero textual), pela capa do livro, pelas ilustrações e outros textos de apoio;
  • observação de pistas que o texto oferece para saber como ele será e o que mais ele vai dizer. As pistas podem estar nas ilustrações, nas cores usadas, nos tipos de letra, nos fatos e informações apresentadas;
  • as inferências, isto é, a capacidade de deduzir fatos ou situações que não estão expressas no texto, mas que podem ser deduzidas por meio de outros fatos já expressos no texto ou de pistas, assim como pelo conhecimento de mundo da criança.
Sabendo que a formação do leitor é um processo de longo prazo, é importante que, durante todo o ano, e de forma permanente, as estratégias de leitura sejam trabalhadas com as crianças para que possamos formar leitores.

Como contribuir para a formação 

do leitor?

A leitura de história e de bons textos deve fazer parte da rotina diária dos alunos.
  • Planejar a leitura – o texto deve ser bem escolhido e a leitura, estudada.
  • Repetir a leitura das mesmas histórias e deixar que completem os trechos.
  • Ler de diferentes formas cada texto.
  • Permitir interação durante ou após a leitura.
  • Pedir para reproduzirem a história lida.
  • Possibilitar o acesso a material de leitura significativo e interessante. Exemplo: comentar os livros que leu e achou interessante, e pedir aos alunos que também o façam.
  • Colocar o material de leitura ao alcance dos alunos.
  • Trabalhar com textos que possibilitem a memorização, organizar coletâneas com eles e incentivá-los a contar a história sem lê-la.
  • Levar embalagens vazias, folhetos, catálogo etc. para a sala de aula.
  • Criar situações em que a leitura seja necessária.
  • Ler e escrever com finalidades reais.

O papel da Literatura Infantil na fase inicial da escrita

Quando o assunto é aquisição da leitura e da escrita, as histórias podem oferecer muito mais do que o universo ficcional. Na verdade, elas desenvolvem aspectos importantes para a formação da criança no âmbito emocional, afetivo, social e cognitivo.
Ao ouvir histórias, a criança constrói seu conhecimento a respeito da linguagem escrita, que não se limita ao conhecimento das marcas gráficas que ele terá de produzir ou interpretar, mas envolve gênero, estrutura textual, funções, formas e recursos linguísticos. Ouvindo histórias, a criança sente a satisfação que elas provocam; aprende a estrutura delas e passa a ter consideração pela unidade e sequência do texto, assim como pelas estruturas linguísticas mais elaboradas, típicas da linguagem literária. Para tanto, o educador deve ter em mente certas considerações.
Retirado do Portal da Editora Brasil

0 comentários :

Postar um comentário